1 ano que mudou 29

Exatamente no dia de hoje, 1 ano atrás, eu acordava pela primeira vez sem despertador para ir trabalhar. Foram quase 10 anos como redatora > supervisora > coordenadora > ACD em criação em agências basicamente pequenas e/ou digitais. 

10 anos. 

Eu me lembro com muito carinho do primeiro livro que li sobre esse mercado há uns 15 anos atrás (que aliás continua sendo um livro de grande lição - Mais vale o que se aprende do que o que te ensinam, do Alex Periscinoto).

Consigo me lembrar, também com carinho, dos sonhos que tive sobre trabalhar em publicidade e propaganda. 

Muitos deles se realizaram, outro nem perto disso, outros que eu nem ousava sonhar aconteceram. 

Mas os sonhos mudaram no caminho. E tudo bem. Mudar de opinião é esperto, não mudar é que é burrice. 

E eu decidi sair daquele sonho - que naquela altura já era um pesadelo - e procurar o que eu queria sonhar em seguida. 

E sobre essa busca, tenho muitas coisas pra contar pra vocês, coisas tão legais que poderiam ajudar muita gente que está procurando realizar ou encontrar o próximo sonho. Ou o primeiro. 

Mudei tudinho nesse 1 ano: raspei cabelo, aprendi a meditar, mudei de país, estou tentando virar vegetariana, fiz cursos e li muitos livros, yoga, tatuagem, tive crise pra caralho, peguei freelas, abri um blog, aprendi a amar segundas-ferias, aprendi a amar a mim mesma, comecei a escrever um livro (que tá foda de continuar), me libertei do despertador, me libertei do sistema. 

E a coisa mais importante é que não faltou dinheiro. Nem trabalho. 

Aprendi a trabalhar não para mim e sim em mim. 

Para isso estou há 1 ano, desenvolvendo um processo tendo eu mesma como cobaia, para ajudar um pouquinho que seja, quem queira fazer o que eu fiz. Quais são seus prazeres, suas dúvidas, seus medos, seus gostos, seus sonhos? Quem é você? E descobrindo um pouquinho disso por dia, você pode começar a traçar uma mudança interior altamente focada nos resultados da sua vida exterior. É muito foda saber quem você é e ser isso. 

Estou escrevendo isso pra comemorar aquela mudança 1 ano atrás, comemorar que sim, sobrevivi e para dizer que talvez eu tenha encontrado meu próximo sonho: ajudar as pessoas a descobrirem seus sonhos. E falando isso aqui pra vocês eu me motivo a realmente botar o projeto pra rolar. Por agora posso dizer: aguardem. 

Não vai ser um caminho fácil, assim como não foi em agência, mas vai ser recompensador pra cacete, tenho certeza. 

Obrigada a todas as agências que eu passei. Obrigada a todos os bons e maus profissionais que eu encontrei. Obrigada aos amigos verdadeiros que eu fiz. Obrigada a minha família que é a maior estrutura fixa pra que eu possa mudar e errar e voltar. Obrigada a mim pela coragem da mudança estrutural.

No fim das contas, a viagem que vale a pena fazer na vida é a mais desafiadora e a mais bonita: a viagem pro nosso interior.