Eu não trouxe cigarro

Quando eu decidi morar em Londres, todo mundo fez (inclusive eu mesma, no espelho) uma cara torta de que eu estava maluca de ir com a libra nas alturas.

E realmente, quando eu levei todo real de uma vida na casa de câmbio e sai com parcos pounds, eu fiquei malzona. 

E 5 a cada 4 pessoas me alertaram: compra cigarro no free shop que esse negócio nazoropa custa uma pequena fortuna. Todos tinham razão.

Mas eu não comprei.

Como disse minha irmã “você merece fumar cigarro enrolado no seu papel de trouxa”. Risos. 

Mas eu tava tão ansiosa para entrar no país, que o aeroporto era um lugar assustador e não um shopping. 

Eu trouxe 1 maço brasileiro meio fumado e um tabaco sem nenhum filtro e uma seda horrível.

Eu fumo, em média, 1 maço a cada dois dias. E 1 inteiro numa balada ou quando bebo. Ou quando estou ansiosa. 

Fiz várias baladas aqui.

E o pint de breja, ao contrário do cigarro, é muito barato. 

E mudança sempre dá aquela ansiedade.

Ou seja, fumei o dobro do que costumo fumar. 

Maaaaaas, estou em Londres há 1 semana e comprei apenas 1 maço. E sequer fumei meu tabaco. 

Aqui o maço custa 8 pounds a 6 reais cada poudzinho. Ou seja: 1 maço = 48 dilmas. 

Faça as contas e verás que eu fumei muito mais do que paguei pra fumar. 

Isso claramente não é uma apologia ao cigarro, meu ponto aqui é bem outro.

O que quero dizer pra vocês amgs, é que eu também não trouxe travesseiro nem lençol, porque minha meta era vir com uma mochila de 55l nas costas. E vim.

Tá, você ainda não deve ter entendido aonde quero chegar.

O caminho que estou trilhando aqui é o de que o dinheiro é uma coisa que não existe. Isso mesmo, pasmem, dinheiro não existe. Antigamente era necessário que houvesse a mesma quantia em ouro do que existe em papel ou moeda num país. Hoje em dia a impressora de dinheiro do mundo tá descontroladona e o homem que copiava tá mandando ver na quantia que rola por aí.

Se o dinheiro não existe mais em ouro, ou seja, não tem lastro, porque caralhos eu devo me preocupar em ter a quantia exata que eu preciso para comprar as coisas que quero?

Não cabe ouro na mochila de 55l. 

O dinheiro está sendo criado em algum lugar, certo? Que esse lugar então, seja minha vidinha. 

Um travesseiro desconfortável custa 50 pounds. Faça as contas aí porque eu sou péssima nisso. 

Na primeira noite que estava aqui, apareceu um travesseiro na minha cama. Dormi nele como um anjo cheio de jet leg. 

Passei 2 noites fora de casa e quando voltei, minha cama estava milagrosamente arrumada (arrumada, juro) com lençol, fronha, 2 (DOIS) travesseiros e um cobertor bem quentinho. E faz frio nessa cidade, viu. E eu nunca disse pra ninguém que não tinha nada disso. Mais tarde descobri que até meu colchão era novíssimo, porque alguém tinha acabado de comprar e não usou. 

Nessas duas noites fora, inclusive, fumei 2 maços de cigarro cheios e vários soltos. Sem por a mão no bolso sequer pra pegar o isqueiro. 

Nessas mesmas duas incríveis noites, achei 1 guarda-chuvas (essencial em Londres), um Ray Ban bem colorido (essencial para mim) e um iPhone 5 novinho - que aliás, foi too much e não sei como devolver ao dono, se alguém tiver alguma ideia prfv comenta aí. 

Tudo isso em um festival cujo qual ganhei ingresso de um grande novo amigo que eu não conhecia, quando eu ainda estava no Brasil. 

Você deve estar se perguntando como, certo?

Mas meu caro, a pergunta que você está se fazendo é errada. 

A pergunta certa que você deve se fazer todos os dias é: como eu posso ajudar o universo e como ele pode me ajudar? 

Dinheiro é troca, oportunidade, bom humor, sorriso, amor e pensamento positivo. 

Se dinheiro pode ser criado, que tal criarmos um pouco, só pra variar. 

Os alquimistas estão chegando. Estão chegando os alquimistas. 

Eu não trouxe cigarros, nem roupa de cama. E obviamente, nem colchão. 

Não me faltou nada disso. Até sobrou (alguma ideia pra devolver o iPhone aí pleeease). 

O dinheiro não tem lastro e eu tenho muita fé. 

Peça e milagrosamente (eu juro), receberás.

Os mais céticos vão dizer que é pura sorte, mas sorte é somente a língua que o Universo usa para se comunicar com quem fala com ele numa vibe boa. O contrário vale para o azar. Vim pra Londres aprender essa língua aí, porque inglês tá foda. 

Ao invés de passar horas, dias e muitos anos da sua vida se preocupando com dinheiro para comprar as coisas, que tal se preocupar com o que você pode oferecer ao mundo. 

Quanto mais você pensa que vai faltar, mais você guarda para você, menos você troca com o mundo, mais falta. 

Quanto mais você conta dinheiro, menos conta histórias. 

Não pense no dinheiro como um vilão com planos malignos para te foder e sim como um herói a seu serviço. Daqueles que basta botar um sinal de luz com cifrão no céu que ele vem te salvar. 

Mas não adianta só pedir, claro. É preciso oferecer, mesmo quando não tiver. Ofereça qualquer coisa. Assim como me deram coisas. Ofereça um bom dia, um cobertor, um prato de comida, um carro, uma casa de campo. Deixe a conta sempre azul. 

Dê em abundância aquilo que você quer ganhar.

E quando você mais precisar, pode sacar em qualquer caixa 24h, porque as coisas vão aparecer como num milagre. 

Amém.

Com licença que eu vou fumar um cigarro e tomar um café com uma nutella que eu também ganhei de uma incrível mãe brasileira que estava de passagem pela casa. 

Casa essa, que também foi a única que eu vi antes de me atirar na terra da rainha e que caiu no meu colo sendo a mais barata de todo UK so far. E ótima. E pertinho do maravilhoso tube londrino. 

Aliás, quero mandar um beijo gigante aí pra todo mundo que me deu todas essas coisas. Pagarei com juros em gratidão e em coisas que eu puder.

Precisando de dinheiro é só falar. Falar com o universo. 

...

O Ministério da Saúde adverte: fumar e se preocupar com a falta de dinheiro é prejudicial à saúde e pode matar.