Doce Novembro

Chegou novembro
devagar
numa primavera úmida
e iluminada.
Com seus feriados
e finados
fim, começo e descanso
se fazem necessários. 
Super lua
sol em escorpião
o oculto se levanta
e se apresenta como solução.
Sutilmente.
O escorpiano
que em novembro mora
quer verdade
não veneno
e quer agora.
Novembro
mês onze
o penúltimo apostolo
num movimento
que até parece retrógrado
na realidade
se prepara para
saltar
milhares de anos-luz
num universo molecular.
Poucos instantes antes
do fim de mais um capítulo
o tempo se desfaz
e na iminência dessa morte
novembro vem mostrar
aquilo que não satisfaz.
Tudo se apresenta
em pedaços
e sinais. 
Novembro cansa normalmente
já é fim de expediente
imagina num ano
exatamente como esse.
De puro
caos. 
Mas aguarde pelas festas
observe pelas frestas
por onde o novo pode entrar. 
Parece que não há
nada à comemorar
mas é aí que vive o convite
desse doce novembro
num ano macabro: 
veja além da superfície aparente
e com olhos de devoção
comprove empiricamente
que vem chegando o verão.