aos vencedores os olhares

o absurdo venceu

chegou ao poder

a mentira e o medo

a verdade foi viver

longe dos homens

cidadãos de bem

saíram do armário

o ódio e a violência

e a ignorância

ganharam força

os fracos de

alma cheios de

sangue nos

olhos e nas mãos

um desastre fascista

anunciado aos quatro

ventos que trazem o

passado de volta

um golpe com todas

as capas de revistas

os mitos revistos

pra nos enganar

o fim do mundo

está próximo

o absurdo venceu

mas só ao vencedor

as atenções devidas

da opinião pública

o mal se combate

com a luz dos holofotes

que a noite escura

da alma não nos

cegue o amor

não cale nossa voz

nem impeça o

Carnaval