Equinócio de Outono

equinócio de outono 

era de saturno

derruba as flores

muda as cores

esfria o ar 

a melancolia

abre os brotos. 

vida-morte-vida-morte

a natureza opera 

em seu costumeiro 

sistema binário.

sejam bem-vindos

ao calendário

mestres gélidos

duros como perda

seus ensinaventos 

trazem disciplina. 

 

a neblina 

antiga conhecida

encobre o céu

arranca o véu

desconforta 

e diz

sob meu domínio

és aprendiz. 

 

acostume-se

aceite

receba

o outono

e saturno

pois em seus calços vem

o gelo do inverno

e o fogo do inferno. 

Assuma teu posto

levanta a cabeça

olhe dos dois lados

não se esqueça

desperte, relembre

o bem e o mal

são só o dual

do nosso planeta. 

Permita-se

cair em folhas

virar as páginas

irem 

as coisas 

ser 

o que 

eu és

sem separação

da rede que une

da terra que urge

no mesmo grito.  

vida-morte-vida-morte

a natureza opera

em seu costumeiro 

sistema infinito.